Efeitos Colaterais da Câmara Hiperbarica

Efeitos Colaterais da Câmara Hiperbarica

A Oxigenoterapia Hiperbárica é um procedimento médico com riscos* mínimos, evitáveis com cuidados preventivos**.
A Oxigenoterapia Hiperbárica é indicado para o tratamento de pacientes portadores de doenças infecciosas, inflamatórias, entre outras.

Como é feito o tratamento Câmara Hiperbarica?

Consiste na respiração de oxigênio puro (a 100%) estando o paciente dentro de um equipamento denominado "Câmara Hiperbárica", que trabalha sob pressão maior que a pressão ambiente. A elevação da pressão interna na câmara é feita gradual e lentamente, permitindo ao paciente que acomode o ouvido, num processo semelhante ao que ocorre quando se sobe ou desce urna montanha durante uma viagem de automóvel. O paciente permanece sob supervisão médica contínua durante todo o tratamento. O médico hiperbarista define se há necessidade de ministrar medicamentos, bem como o modo como é realizada a sessão.

Unidade Hiperbarica Pacaembu, paciente na Câmara Hiperbarica

Posso fazer realizar o tratamento com Câmara Hiperbarica simultaneamente a outros tratamentos?


Sim. A Oxigenoterapia Hiperbárica é um tratamento adjuvante, podendo ser realizado simultaneamente a outras medidas terapêuticas que o paciente esteja recebendo, tais como cirurgias, antibióticos, curativos, etc.

Qual a duração da sessão Câmara Hiperbarica?


Em média, a duração do procedimento é de 90 a 120 minutos. O número de sessões é decidido de comum acordo entre o médico responsável pelo paciente e o médico hiperbarista, agenciando de forma que, dentro do possível, se atenda à disponibilidade dos pacientes. Os médicos da Câmara Hiperbárica estarão à disposição para maiores esclarecimentos.

* Riscos: 1. Claustrofobia (frequente); 2. Dificuldade de compensação dos ouvidos (comum nas primeiras sessões); 3. Barotraurna de tímpano e de pleura (raro); 4. Amadurecimento de núcleos de catarata pré-existentes (raro); 5. Convulsões devido intoxicação por oxigênio (raríssimo).

** Cuidados preventivos: 1. Empregar medicamentos ansiolíticos a critério médico; 2. seguir as instruções para realizar as manobras adequadas; 3. Informar qualquer desconforto durante o procedimento para que seja realizada adequação das sessões; 4. A Oxigenoterapia Hiperbárica não provoca catarata; todos os processos cicatriciais se aceleram pelo efeito da 011B, a resposta é individual; 5. Evitar hipoglicemia, febre e alterações metabólicas (o uso de anticonvulsivantes não deve ser interrompido durante o tratamento com Oxigenoterapia Hiperbárica).